terça-feira, 25 junho, 2024
Ultimas noticias

Pessoas perfeccionistas: é algo bom ou ruim?

As pessoas com traços perfeccionistas podem se esforçar muito para atingir padrões de desempenho estabelecido por elas mesmas e sentir que nunca está bom o suficiente. São engessadas, necessitam estabelecer padrões elevados e rígidos e ao menor sinal de falta de controle, paralisam, tem muita dificuldade de improvisar na situação.

Acabam muitas vezes entrando no ciclo de:

  1. Idealização de algo a ser feito;
  2. Sofrimento e ansiedade para colocar em prática afinal necessita pensar em todos os detalhes antes de agir para que nada dê errado;
  3. Paralisa, duvida da sua capacidade, procrastina;
  4. “Agora já está em cima do prazo, não vai dar mais tempo de ficar perfeito”
  5. Corrida maluca para fazer o que precisa ser feito, culpa, autocritica elevada, autocobrança por não ter feito melhor.

O perfeccionista tem medo de errar e fica a todo momento lutando contra o erro. É extremista na forma de pensar e por isso acaba ficando no “8 ou 80”, dá um zoom no erro e não percebe o todo.

Uma vez ouvi de um paciente o seguinte: “Eu preciso me exigir, eu tenho que fazer certo, porque só assim vou me dedicar e me entregar ao máximo nas coisas”. E eu respondi: “Entendo a sua afirmação, mas o quão frustrado, desanimado e incapaz isso te torna? Vale realmente a pena?”. O perfeccionista está sempre exigindo mais de si mesmo até o ponto do seu melhor esforço não ser suficiente.

Já respondendo à pergunta feita no título, sim é algo ruim, afinal ficar mais tempo refletindo sobre todos os detalhes de algo que vai acontecer é prejudicial. Elas perdem muito tempo idealizando e pensamento do que de fato executando.

Além de que essa característica é comum em diversos transtornos mentais, como por exemplo na anorexia, no TOC e na vigorexia.

Para você que está lendo e se identificando: Se livre dessa expectativa de fazer tudo perfeito, isso é ilusório, a perfeição não existe, não importa o quanto você procure. Aceite que errar faz parte do processo de uma vida saudável, verdadeira e realista.

E lembre-se: “Feito é melhor que perfeito”, mais vale fazer como dá no momento, do que acabar não fazendo por não ter condições ideais.

Gostou da notícia então compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

Mais lidas da semana

Noticias em destaque

Noticias

Outros links uteis