terça-feira, 16 abril, 2024
Ultimas noticias

Trabalho desempenhado pelas Universidades Comunitárias junto à comunidade ganha destaque em 2023

Foto: Divulgação

Alesc criou o Fórum Parlamentar em Defesa das Instituições de Ensino Superior Comunitárias de Santa Catarina do Sistema Acafe, que percorreu todo o estado

A força das Universidades Comunitárias catarinenses ganhou ainda mais evidência ao longo de 2023. As instituições que prestam serviços relevantes à comunidade há mais de seis décadas tiveram atenções e reconhecimento de seus diferenciais ao longo de diferentes oportunidades neste ano.

Para enfatizar e mostrar a importância deste trabalho, a Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), criou o Fórum Parlamentar em Defesa das Instituições de Ensino Superior Comunitárias de Santa Catarina do Sistema Acafe, um movimento que percorreu todo o estado. No Sul, o encontro recebeu mais de três mil pessoas no AM Master Hall, em Criciúma, cidade sede da Unesc, a maior Universidade Comunitária da região.

“A mobilização iniciada com as pessoas da nossa sociedade se perpetuará com os nossos estudantes. Continuará para eles e por eles que, ao lado dos nossos professores, pesquisadores e colabores, dão sentido e vida ao nosso trabalho diário”, enfatiza a reitora da Unesc e presidente da Associação Catarinense das Fundações Educacionais (Acafe), Luciane Bisognin Ceretta.

O lançamento do Fórum ocorreu na Alesc, onde estiveram mais de 1,5 mil acadêmicos, de todas as regiões de Santa Catarina, que levaram uma verdadeira onda verde à Florianópolis. Uniformizados e com uma única bandeira “Somos Acafe”, representantes das 14 instituições de ensino superior que compõem a Associação Catarinense das Fundações Educacionais, prestigiaram o evento.

Conectados à pauta de defesa das Instituições Comunitárias, mais de 600 pessoas, entre estudantes, professores e colaboradores, saíram de Criciúma e Orleans para representar Unesc e Unibave na Alesc.

A presidência do Fórum ficou a cargo do deputado estadual, Napoleão Bernardes. “Há mais de 50 anos, as universidades comunitárias oferecem Ensino de excelência; Pesquisa de alta qualidade para, com a Inovação, agregar cada vez mais valor ao setor produtivo e praticar a Extensão atendendo mais e mais catarinenses nas suas necessidades”, diz.

Fazem parte da Acafe as Instituições de cunho comunitário de Santa Catarina: Católica, Furb, Udesc, UNC, Unesc, Uniarp, Unibave, Unidavi, Unifebe, Uniplac, Univali, Univille, Unochapecó e Unoesc.

 

Além do estado

A luta em prol das instituições extrapolou até mesmo as divisas do estado e chegou à Capital Federal, onde foi criada a Frente Parlamentar Mista em Defesa das Universidades Comunitárias, com apoio da Acafe; da Associação Brasileira das Instituições Comunitárias de Educação Superior (Abruc) e do Consórcio das Universidades Comunitárias Gaúchas (Comung). O ato, conforme a reitora da Unesc e presidente da Acafe, representou um momento histórico.

“Não basta dizer que somos importantes e o quanto somos importantes em números. É preciso decisões políticas de todos os segmentos que protejam e confiram perenidade e sustentabilidade a este modelo, que tem ao longo dos anos suprido os grandes vácuos de formação de excelência para o território nacional”, citou, na oportunidade.

A frente parlamentar é presidida por Pedro Uczai e tem como vice-presidente a senadora Ivete da Silveira.

A defesa das universidades comunitárias esteve presentes até mesmo nas quadras e nos gramados, afinal, a Unesc tem o esporte como uma de suas bandeiras institucionais. Uma faixa foi apresentada para aproximadamente 14 mil pessoas que foram ao Estádio Heriberto Hülse para assistir o jogo entre Criciúma e Tombense, na estreia do Tigre na Série B do Campeonato Brasileiro.

Além disso, as atletas da equipe de vôlei da S.R. Mampituba/Unesc/Radar/FME Criciúma entraram em quadra, pela primeira etapa do Campeonato Estadual de Vôlei Feminino Sub-19, com a camisa verde que se tornou característica do movimento encabeçado pela Acafe, que conta com 14 instituições. Ambos os times têm parceria com a Unesc, por meio de ações e projetos de Ensino e Extensão.

Na região, diversas Câmaras de Vereadores prestaram apoio à causa, entre elas Criciúma, maior cidade da região que abriu espaço para a presidente da Acafe, Luciane Ceretta tratar do assunto  na Tribuna Livre. Na ocasião, ela apresentou os números que evidenciam o impacto positivo da atuação das Instituições Comunitárias, que atualmente contam cerca de 142 mil acadêmicos do ensino básico ao doutorado, sendo, destes, 82 mil estudantes de graduação presenciais.

“É fundamental apresentar um pouco do que a nossa Universidade e todas as coirmãs de Santa Catarina realizam, além de evidenciar a legislação que ancora nosso trabalho. Ter o entendimento dos vereadores de forma aprofundada é importante”, fala.

 

Projeto Universidade Gratuita

Em agosto de 2023, o governador Jorginho Mello sancionou duas leis que criam programas de assistência financeira para o Ensino Superior: o Universidade Gratuita e o Fundo Estadual de Apoio à Manutenção e ao Desenvolvimento da Educação Superior (Fumdes). O objetivo é democratizar o acesso ao ensino superior, gerando mais desenvolvimento em todas as regiões do Estado.

O programa, inédito no Brasil, tem potencial para revolucionar a educação superior em Santa Catarina na medida que atende muito mais pessoas e solucionará grandes demandas do mercado de trabalho por profissionais especializados. Além disso, traz retorno à população por meio de serviços prestados a órgãos públicos pelos estudantes e pelas universidades, como contrapartida do programa.

“Foi um dia histórico para Santa Catarina porque possibilita a melhoria da qualidade de vida das pessoas. Mais que o acesso e permanência dos nossos estudantes, a iniciativa também em ampliação de serviços, ciência, projetos de Extensão e tudo o que envolve as nossas Universidade”, salienta Luciane Ceretta.

Uma das principais promessas de campanha do governador, o Universidade Gratuita oferece mais de 70 mil vagas gratuitas nas universidades comunitárias até 2026, mais de 28 mil somente no segundo semestre de 2023, com um investimento de R$ 217 milhões. Em 2026, serão cerca de 1,2 bilhão de investimentos.

Experiências que transformam

As matrículas para os cursos de graduação da Unesc já estão abertas aos interessados em ingressar em 2024. Para iniciar o sonho de entrar na Universidade não é necessário realizar vestibular, com exceção do ingresso no curso de Medicina. Basta ter histórico escolar em mãos, documentos de identidade e o desejo de dar o primeiro passo.

Para posteriormente concorrer a bolsas de estudo, entre elas do programa estadual Universidade Gratuita, é necessário que o estudante já esteja matriculado, ou seja, é importante que garanta a vaga no curso desejado.

Na página unesc.net/graduação é possível acessar todas as opções em graduação presencial e os diferenciais de cada um.

Mais informações sobre ingresso podem ser obtidas pelo contato (48) 999 150 433.

Colaboração: Agecom

Gostou da notícia então compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

Mais lidas da semana

Noticias em destaque

Noticias

Outros links uteis