Home Política Observatório Social solicita revisão do vale-alimentação da Câmara de Içara

Observatório Social solicita revisão do vale-alimentação da Câmara de Içara

332

O acréscimo previsto já para junho, chegará em até 160% totalizando com o novo reajuste que terá em 2022

Após ser aprovado por dez dos 15 vereadores, o Observatório Social do Brasil (Içara), solicitou nesta quarta-feira (5), um pedido de revisão do aumento no vale-alimentação dos servidores da Câmara Municipal. A pauta de elevação foi levantada por iniciativa da Mesa Diretora, com a justificativa de que se trata da recuperação do piso de assessores, reduzido em 2017. O acréscimo previsto já para junho, chegará em até 160% totalizando com o novo reajuste que terá em 2022.

A resolução foi aprovada em regime de urgência na última segunda-feira (3) e apenas quatro vereadores votaram contra. Atualmente, os servidores e assessores recebem cerca de R$ 170,00 no vale, valor que será elevado para R$ 495,00. Com a nova adequação prevista para o próximo ano, o valor chegará a R$ 980,00. A vereadora Carla Souza, que votou contra o projeto, ressalta que não acha o momento da pandemia do coronavírus, o mais adequado paras esse tipo de levantamento.

“Nesse instante não se deve conceder nenhum aumento para ninguém. A população está passando fome, desempregada, vivendo de auxílio emergencial e nós concedermos vale alimentação para servidores estáveis e assessores que ganham bem em relação a população brasileira é inaceitável”, indaga Carla. “Isso é o que eu enquanto cidadã também gostaria que meus representantes decidissem, pois votei enquanto vereadora e cidadã”, completa.

Por outro lado, o vereador Davi Nazário foi um dos favoráveis. Segundo ele, a cautela não ira refletir no orçamento da Câmara e vem se arrastando há anos. “Esse auxílio já era de direito dos servidores, o mesmo foi tirado quando se passou de 11 vereadores para 15. Naquele época, foi consenso de todos os servidores o corte, afim de verificar o orçamento da Câmara. Porém o retorno do vale alimentação (sem o corte) era para ser restabelecido até final de 2018, o mesmo não foi feito” pontua.

Redação Içara News