Home MARIA DE FATIMA PAVEI Mãe não tem limite!

Mãe não tem limite!

79

Todos os dias meus filhos cantavam ao chegar do Jardim e suas vozes subiam as escadas de mansinho. – Mãe, seus filhos chegaram! Tem bolo de chocolate ou bolinho de chuva? Podemos brincar e mais tarde estudar?  Eles tinham duas mães, eu e Vó Ilma. Um tempo repleto de carinhos e beijos há 22 anos! Cresceram e ainda os ouço: Mãe, as camas estão prontinhas para dormirmos? E nossos ternos e camisas estão prontos? Fez comida especial para os teus filhos? Mãe já estou na cama, traz água para nós? São estas relações entre mães e filhos que guardamos no coração.

Serei sempre a mãe que nunca vai embora e abro o livro de Mário Quintana que diz: “Mãe são três letras apenas. As desse nome bendito, também o céu tem três letras e nelas cabe o infinito. Para louvar nossa mãe, todo o bem que se disse, nunca há de ser tão grande como o bem que ela nos quer. Palavra tão pequenina, Bem sabem os lábios meus que és do tamanho do Céu. E apenas menor que Deus!” Segundo a Bíblia, as mães levaram suas crianças até Jesus para que ele colocasse sobre elas suas mãos e as abençoasse e ele disse: “Deixai vir a mim as criancinhas e nunca as impeças, porque delas é o reino dos céus”.

Jesus atraia multidões e os ensinava dizendo: “Felizes os que têm espírito de pobre, porque deles é o reino dos céus. Felizes os que choram porque serão consolados. Felizes os mansos, porque possuirão a terra. Felizes os famintos e sedentos de justiça, porque serão saciados. Nós estamos orando? É hora de ser mãe de verdade, voltando-se para Deus! Ser mãe é amar e rezar todos os dias. Ser mãe é perdoar seus filhos e também pedir perdão, chorar por eles, sentir suas tristezas e suas dores.

Drummond de Andrade escrevia para as mães  “Por  que Deus permite que as mães vão-se embora? Mãe não tem limite, é tempo sem hora, luz que não apaga quando sopra o vento e chuva desaba, veludo escondido na pele enrugada, água pura, ar puro, puro pensamento. Morrer acontece com o que é breve e passa sem deixar vestígio. Mãe, na sua graça, é eternidade. Por que Deus se lembra – mistério profundo – de tirá-la um dia? Fosse eu Rei do Mundo, baixava uma lei: Mãe não morre nunca, mãe ficará sempre junto de seu filho e ele, velho embora, será pequenino feito grão de milho.” Obrigada meu Deus por nós mulheres termos sido presenteadas por uma divina graça, ser MÃE!