Home MAIRA RABASSA O que esperar de 2018…

O que esperar de 2018…

111

Saúde. Educação. Trabalho. Pedidos clichés, talvez. Mas, podemos agrupar a estes desejos simples, quem sabe… Menos ódio?! E talvez uma enxurrada de compaixão?! O que sentimos na atmosfera das redes sociais nestes dois últimos anos foi algo pesado, negro, que beira – se não é – o bizarro. Precisamos achar uma saída para que isso não nos consuma em 2018.

Ajudar mais. Negar menos. Ter mais empatia a dor e a alegria alheia. Sim, ser feliz com a felicidade do outro é algo libertador. Ler mais. Se informar mais. Não rotular outras histórias com a sua própria vida. Nem todos tiveram as suas experiências. Alguns sentem diferente de nós. E saber respeitar isso é um passo para paz interior.

Escute mais. Às vezes pessoas muito próximas de nós precisam apenas que as ouçamos. Acredite mais. E siga com o coração aberto para as mudanças que o mundo tem nos apresentado a cada dia. As novidades, às vezes, no começo assustam, mas se olharmos com mais compaixão quem sabe essa nuvem de ódio dissipe neste ano novo!

Vamos repensar!

Amigurumi para proteger com amor

Você já deve ter lido e visto imagens sobre eles. Mas você sabe onde achar e o que são? Os “Amigurumi” surgiram no Japão.  São bonecos de croché usados para proteger os sonhos dos pequenos. A região de Criciuma conta com a artesã Mariana Triches que produz esses lindos e delicados brinquedos. “Os valores variam conforme o tamanho, o tempo de confecção e a dificuldade do trabalho”, explica Mariana, que também é técnica em enfermagem. Ela ressalta que os seus amigurumis são feitos com fios 100% algodão, recheados com fibra siliconada, todas as partes são costuradas a peça e os olhos tem trava de segurança. “São confiáveis para crianças”, destaca. Para encomendar um desses divertidos bonecos acesse a fanpag.

Ballet infantil com matrículas abertas para Içara, Criciúma e Rincão

Estão abertas as inscrições para o ano de 2018 na Escola Sheila Ballet Coach. A Escola, sediada em Içara, também tem núcleos no Balneário Rincão e em Criciúma. Sheila de Faveri Daros criou um método próprio para o ensino do Ballet infantil, chamado de Ballet Coach, onde são adaptadas as técnicas do Coach Infantil para o ensino do Ballet Clássico. “Os resultados são muitos. As crianças se tornam mais seguras, mais comunicativas, autônomas e felizes, devido a característica central do método que é a conexão dos dois hemisférios cerebrais da criança, permitindo a fixação do aprendizado, e contribuindo para a saúde física e emocional infantil”, explica. Mais informações no site www.sheilaballetcoach.com.br ou pelo telefone (48) 99655-8643.

Agora é lei: SC vai contar com bancos comunitários de sementes e mudas

A Lei 17.481, aprovada em 15 de janeiro de 2018, cria a Política Estadual de Incentivo à Formação de Bancos Comunitários de Sementes e Mudas. Desde 2010 o projeto tramitava na Assembléia Legislativa de SC. De autoria do deputado Padre Pedro a matéria é de importância estratégica dos bancos de sementes e mudas para o futuro da agricultura familiar e camponesa.