Fundai propõe cobrança da taxa de lixo na fatura de energia

Na perspectiva de reduzir o déficit entre os valores que são recebidos mensalmente e os gastos para a realização da coleta de lixo em Içara, a Administração Municipal tentou um acordo com a Cooperativa de Eletrificação Aliança (Cooperaliança) para a realização da cobrança da taxa, que atualmente é executada na fatura de água, da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan). A proposta, no entanto, foi recusada pela concessionária de energia elétrica.

“A proposta que a prefeitura nos trouxe foi levada para reunião do Conselho de Administração, já que toda situação que interfira na fatura de energia elétrica deve passar por eles, e a decisão que tomou-se, inclusive registrada em ata, foi que esta taxa não fosse incorporada. Pelo menos não neste momento. No primeiro trimestre de 2018, volta-se a discutir, porém para este ano a ideia foi rejeitada”, conta o gerente administrativo da Cooperaliança, Reginaldo de Jesus.

O presidente da Fundação de Meio Ambiente de Içara (Fundai), Ederaldo Inácio, diz que recebeu com surpresa a decisão tomada pela concessionária de energia. “A Cooperaliança recebe uma taxa para prestar este serviço. Nos surpreende pelo fato de que estão abrindo mão de receita. E principalmente, seria interessante que esta taxa, que hoje é paga à Casan, ficaria na cidade, já que seria paga à Cooperaliança, que poderia utilizar da forma que achasse melhor, mas o certo é que haveria influência na cidade”, considera.

 

Especial Jornal Gazeta

Gostou da notícia então compartilhe:

Mais lidas da semana

Noticias em destaque

Noticias

Outros links uteis